O bate-papo foi transmitido da praça central de Braço do Norte pela rádio ACB FM.
O bate-papo foi transmitido da praça central de Braço do Norte pela rádio ACB FM.


Braço do Norte

Nesta quinta-feira, uma proposta de negociação salarial deverá ser discutida com os sindicatos da área de segurança de Santa Catarina, em Florianópolis. O anúncio foi feito pelo ex-prefeito de Braço do Norte e assessor do vice-governador Eduardo Moreira, Ademir Matos, neste sábado, em um ato popular realizado no centro da cidade.

A mobilização foi organizada pelo movimento jovem e contou com a participação de várias pessoas, que discutiram a situação salarial da Polícia Civil. O bate papo foi comandado pelo radialista Guilherme Neto, da Rádio ACB FM.

“Estamos cientes que este ano não sai nada. Existem rumores de que vão apresentar algo entre 7% a 9% de aumento, mas a categoria não vai aceitar”, avisa o chefe de investigação da Polícia Civil de Braço do Norte, Alexandre Martimiano.

O policial já recebeu alguns convites para trabalhar em Florianópolis, mas gosta de sua cidade e está empenhado em buscar uma forma de valorizar os profissionais. Alexandre tem se destacado devido ao trabalho exercido no Vale do Braço do Norte.

A paralisação dos policiais civis no estado, entre esta quarta e sexta-feira, está mantida. Nestes três dias somente os serviços de urgência serão mantidos. A tentativa de negociação com o governo do estado começou em abril e até agora não há uma definição.

Os policiais pedem a reposição salarial com o nivelamento dos cargos, o adicional de 25% sobre os vencimentos ao se aposentar (hoje eles perdem 30%), e a incorporação aos proventos da aposentadoria. A categoria está sem reajuste há 13 anos.