Tubarão

Pâmela Simplício e Ramulfo Souza são procurados pela justiça tubaronense. Os dois deixaram o Presídio Regional de Tubarão – ela em dezembro de 2008 e ele em junho deste ano – e não voltaram mais.

Nos dois casos, eles deixaram a instituição por meio do benefício da saída temporária e tinham um prazo de sete dias para retornar. Ambos são condenados por roubo e considerados perigosos.
As Polícias Civil e Militar da região estão à caça de Pâmela e Ramulfo. Há suspeitas de que eles estejam escondidos na casa de amigos.

“Infelizmente, há presos que ganham progressão de regime e benefícios e não aproveitam como deveriam. É uma questão de tempo para chegar até eles”, avalia Deiveison Querino Batista, diretor da unidade prisional tubaronense.
Por este tipo de ocorrência é que as tornozeleiras eletrônicas começam a ser testadas em detentos catarinenses no próximo mês. O equipamento indicará o local exato do preso enquanto estiver nas ruas.