A PRF também vai fiscalizar motocicletas, com foco nas infrações que aumentam o risco de acidentes e no uso do capacete

Tubarão

A Polícia Rodoviária Federal iniciou à 0h desta sexta-feira – e termina às 23h59min da próxima segunda, a Operação Dia do Trabalho. A exemplo dos últimos feriados de Semana Santa e Tiradentes, esta operação também terá a duração de quatro dias e tem o objetivo de reduzir o número de vítimas no trânsito e manter a normalidade do fluxo de veículos e pessoas.
A estratégia já executada na Operação Tiradentes e Semana Santa será mantida: policiais rodoviários federais concentrarão a fiscalização em locais e horários de maior incidência de acidentes e crimes, de acordo com estatísticas do órgão. O objetivo é diminuir o número e letalidade dos acidentes e garantir segurança e fluidez do trânsito aos usuários das rodovias federais através do controle do excesso de velocidade, ultrapassagens indevidas, de dirigir sob influência de álcool e do uso inadequado do cinto de segurança.
Em 2016, não houve Operação Dia do Trabalho, uma vez que a data caiu em um domingo. Já no ano de 2015, com o feriado sendo comemorado em um sexta-feira, a operação teve quatro dias de duração e nas rodovias federais de SC registrou 191 acidentes, com 156 feridos e 9 vítimas fatais.
A PRF espera um fluxo de veículos semelhante ao do final de semana passado, feriadão de Tiradentes. No entanto, o motorista deverá ficar alerta quanto à possibilidade de congestionamentos no retorno do feriadão, segunda-feira, entre 14 e 22h, devido ao grande fluxo de veículos, principalmente nas áreas urbanizadas das BRs 101, 282, 470 e 280 em Santa Catarina.

Cuidados
Com o aumento relevante do fluxo de veículos nas rodovias federais, incluindo ônibus e veículos de carga, a Polícia Rodoviária Federal diz que o planejamento da viagem é fundamental para reduzir os riscos de acidentes. “A PRF alerta que esse planejamento deve levar em consideração a duração da viagem, a hora prevista de chegada ao destino e pontos de parada para alimentação, descanso e abastecimento. A falta de planejamento pode resultar no excesso de velocidade, quando o condutor quer chegar ao destino mais rápido, consequentemente, aumenta os riscos de acidentes”, diz nota da corporação. Durante a operação serão priorizadas ações preventivas para a redução da violência nas rodovias.