Maycon Vianna
Tubarão

A descoberta de um túnel no Presídio Regional de Tubarão, no fim da tarde de segunda-feira, após minuciosa vistoria, só confirma que muitos presos passam os dias articulando formas de tentar fugir. O vão oco encontrado tinha aproximadamente meio metro de comprimento e 15 centímetros de largura. Estava localizado na sala 11, em uma das galerias do presídio.

“Eles utilizaram hastes de ventilador e outros acessórios para cavar este túnel. Felizmente, conseguimos descobrir a tempo”, destaca o diretor do Presídio Regional de Tubarão, Ricardo Dias Welausen.
Os funcionários da unidade prisional agiram na mesma hora em que o local foi descoberto e vedaram o buraco com bastante concreto. As vistorias nas alas do presídio serão mais freqüentes. O diretor do presídio não precisa datas para fazer este tipo de inspeção interna.

“Pegamos de surpresa os presos. Seria muito fácil para eles anunciar o dia em que faremos o pente fino. Mas estamos sempre atentos para qualquer indício que possa causar estranheza”, avisa Ricardo.
Conforme o diretor do presídio, é complicado encontrar o culpado pela tentativa de fuga ou saber quem começou a cavar o buraco. “Geralmente, eles não fazem este trabalho sozinho. Tem um fator agravante: o prédio é antigo e, por baixo, há muita toca de rato, o que facilita a escavação”, avalia.

Já houve outras tentativas de fuga por meio de túneis. Em outra ocasião, há cerca de cinco anos, um buraco de maior profundidade foi cavado, mas os detentos desistiram porque encontraram uma viga de concreto.