Zahyra Mattar
Tubarão

Está previsto para agosto o lançamento da ordem de serviço para o início das obras civis do novo prédio do Presídio Regional de Tubarão. Após as construtoras participantes terem se embargado, cinco sobraram e disputam a licitação. Da região, há duas representantes: a Construtora Formigoni, de Tubarão, e a USS, de Braço do Norte. As outras três são de outras cidades – Nakajima Engenharia, do Vale do Itajaí, Bringueti Engenharia, de Florianópolis, e Construtab, de São José.

“Os envelopes com as propostas financeiras das cinco participantes serão abertos em dez dias. A ordem de serviço será lançada em seguida, provavelmente ainda na primeira quinzena de agosto”, confirma Wilson da Silva, o assessor do secretário estadual de segurança pública, Ronaldo Benedet.

A primeira etapa, de três, da obra está concluída desde maio. Trata-se da terraplanagem, feita pela Construtora Êxito, de Itajaí. Agora, serão feitas as obras de engenharia civil convencional, cujo prazo de conclusão de 360 dias a partir do início, e as de monoblocos de concreto de alta resistência (prazo de 210 dias para finalizar). As duas etapas serão feitas de forma simultânea.

Ao todo, o presídio custará aproximadamente R$ 8 milhões. Deste valor, cerca de R$ 6,8 milhões referem-se a estas duas últimas etapas. Segundo Wilson, a expectativa de inaugurar a nova instalação no primeiro semestre do próximo ano continua. No total, serão abertas 248 vagas no novo prédio.

O projeto
• Na parte inferior, ficará toda a estrutura dos presos: celas, dois quartos para visita íntima, banheiros para os familiares, salas de revista, depósito, ambulatório, sala para advogado e cozinha com pequeno refeitório para os detentos responsáveis pela comida.

• A parte superior abrange toda a estrutura administrativa, alojamento, banheiros e cozinha para os agentes prisionais. Os policiais militares que fazem a segurança do local também terão um alojamento, anexo ao prédio principal.