A GM está longe das ruas há três meses, desde a morte do guarda Marcelo Silva
A GM está longe das ruas há três meses, desde a morte do guarda Marcelo Silva

 

Karen Novochadlo
Tubarão
 
O retorno da Guarda Municipal às ruas de Tubarão só deve ocorrer no próximo mês. Amanhã, o secretário de segurança e patrimônio da prefeitura, Carlos Eduardo Pereira de Bona Portão, viajará para Florianópolis. O objetivo é verificar com a Polícia Federal como está a expedição da licença que autoriza os guardas a utilizarem armas de fogo. 
 
“Já enviamos os documentos necessários. Precisamos verificar como está o procedimento”, revela o secretário. Para retornar ao trabalho externo – eles pararam após o assassinato do GM Marcelo Silva, no dia 10 de fevereiro -, os guardas pediram equipamentos de segurança – armas de fogo e coletes a prova de bala. As exigências já foram parcialmente atendidas e os itens licitados. No próximo dia 6, deverão chegar os 43 coletes balísticos. A empresa  Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) foi a vencedora da licitação. O investimento foi de R$ 47 mil.
 
Já quanto às armas, ainda falta a licença da Polícia Federal. Todos guardas já realizaram os treinamentos de tiro, na Academia de Polícia Civil (Acadepol), em Florianópolis, e receberam notas acima de 8. 
 
No último dia 26, chegaram as 40 pistolas semiautomáticas Taurus PT 59, 38 mm, como um lote de spray de pimenta nas versões espuma e aerosol. As armas custaram R$ 95.201,20 e os sprays R$ 9.751,00. Também foram adquiridas duas espingardas, de R$ 5.742,00, e munições, um investimento de R$ 39.120,00.