Um policial civil foi preso na madrugada desta terça-feira (22) em flagrante por extorsão a proprietária de um restaurante no Norte da Ilha em Florianópolis. Ele garantiu a dona do local que ela poderia realizar uma festa e, por R$ 400, o espaço não seria fiscalizado pela Polícia Civil.

Há uma semana o delegado Marcos Assad, da Gerência de Jogos e Diversão, tomou conhecimento que o policial, que é lotado na 2º Delegacia de Polícia Civil da Capital, se passava por um agente da pasta. A suspeita é que ele extorquia comerciantes e garantia que os locais que careciam de alvarás não seriam fiscalizados.

“Somente com essa mulher (dona do restaurante) ele aplicou o golpe para a realização de três festas. No último caso, ela queria fazer um luau para argentinos”, disse Assad.

A prisão em flagrante foi feita com o auxilio da proprietária, que denunciou a situação e o encontro com o policial. Ele foi detido por volta da 1h no Costão do Santinho, ao receber o dinheiro da mulher. A pistola do homem foi apreendida.

Segundo Assad, ainda não é possível precisar quantos golpes foram aplicados. “Somente na noite da prisão ele estava com R$2 mil na carteira”.

O policial civil foi encaminhado para a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic). Ele passou por audiência custódia no início da tarde desta terça-feira, mas até a publicação desta notícia, a Polícia Civil e a Justiça não confirmaram se ele foi solto.