Os policiais civis saíram de frente da CPP e foram até a unidade coletora do Hemosc.
Os policiais civis saíram de frente da CPP e foram até a unidade coletora do Hemosc.

Mirna Graciela
Tubarão

Está decidido. Os policiais civis farão uma paralisação entre quarta e sexta-feira da próxima semana, quando somente os serviços de urgência serão mantidos. Isto porque encerrou ontem o prazo para o governo apresentar uma proposta, o que não ocorreu, pois o encontro entre os sindicatos e o vice-governador Eduardo Moreira não foi realizado.

A Polícia Civil apenas atuará em casos graves, como homicídios, prisões em flagrantes e procedimentos de capturados com mandado de prisão em aberto. A decisão é em nível estadual. A paralisação será cancelada somente se até amanhã o governo apresentar algo documentado e a categoria aceitar.
Ontem à tarde, em Florianópolis, o grupo gestor do governo expôs números sobre os encargos financeiros, nas nada de concreto. Caso nos três dias da próxima semana não houver um posicionamento do governo, os policiais pretendem tomar medidas mais rigorosas, ainda não divulgadas.

A tentativa de negociação começou em abril e arrasta-se até hoje, sem uma definição. O estado perde 50 policiais ao ano. Eles pedem a reposição salarial com o nivelamento dos cargos, o adicional de 25% sobre os vencimentos dos policiais ao se aposentar – eles perdem 30% -, e a incorporação aos proventos da aposentadoria. A categoria está sem reajuste há 13 anos.

Protesto por melhores salários marca ação de ética e cidadania

Mais de 35 policiais civis de Tubarão, entre delegados, escrivães e agentes realizaram ontem de manhã um protesto contra os baixos salários em frente à Central de Plantão Policial (CPP), no centro, de Tubarão.
Depois, eles caminharam até a unidade coletora do Hemosc, onde doaram sangue e cadastraram-se no banco de transplante de medula óssea. “A polícia trabalha no combate ao crime, mas também em manifestações de ética e cidadania, este é um protesto do bem”, avalia um investigador policial.
A iniciativa antecede a semana nacional do doador de sangue, entre os próximos dias 21 e 27. Participaram do manifesto policiais da delegacia regional, da Central de Plantão Policial (CPP) e da Divisão de Investigação Criminal (DIC).