Um importante foco da investigação sobre o trágico caso do caminhão encontrado com 39 corpos na madrugada desta quarta-feira em Essex, ao leste de Londres, se concentra na complexa rota que o veículo teria feito da Bulgária até chegar aos arredores da capital britânica.

Segundo a polícia de Essex, o caminhão teria partido da Bulgária, país membro da União Europeia, em data ainda não confirmada. Não se sabe, no entanto, se já saiu de lá com as vítimas nem qual seria a nacionalidade dos passageiros.

Cidadãos da Bulgária têm direito a trabalhar no Reino Unido. O país faz fronteira, no entanto, com a Turquia e é comumente usado como parte da rota de imigração ilegal e transporte de refugiados de regiões como a Ásia, África e Oriente Médio. A possível rota que teria levado o caminhão da Bulgária até Essex, no Reino Unido, pode ter incluído, segundo o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, a Irlanda.

Para evitar o controle mais rígido na fronteira do porto francês de Calais, a rota do caminhão pode ter sido ampliada em várias horas num percurso por mar até a Irlanda que dura cerca de 18 horas (comparado a uma hora e meia entre Calais e Dover, no Reino Unido).

“Há relatos de que o caminhão teria passado pela Irlanda em algum momento”, afirmou Leo Varadkar ao parlamento irlandês. “É uma real e terrível tragédia humana. Abriremos as investigações necessárias se for confirmado que o caminhão de fato passou pela Irlanda”.

A hipótese do percurso via Irlanda é reforçada pelas informações da polícia de que o caminhão teria entrado no Reino Unido no sábado por Holyhead, uma cidade portuária no País de Gales, parte do Reino Unido, que dispõe de um serviço de transporte por balsa ligando Dublin ao Reino Unido, pelo Mar da Irlanda, cuja travessia dura cerca de 3 horas.

Seamus Leheny, responsável pela Associação de Transporte por Fretes da Irlanda do Norte, disse que a entrada por Holyhead seria uma “rota heterodoxa”. Isso porque ela adiciona várias horas ao percurso.

“Comenta-se que o controle de segurança em lugares como Calais e Dover foram intensificados, então, a entrada partindo de portos como Cherbourg e Roscoff (ambos no noroeste da França) para Rosslare (Irlanda) e depois subindo pela rodovia para Dublin pode ser visto como uma maneira mais fácil de entrar (no Reino Unido)”, disse.

“É um longo caminho e adiciona um dia à jornada”, acrescentou Leheny. Richard Burnett, diretor da Road Haulage Association, associação que representa empresas de transporte de carga na Grã-Bretanha, disse que a viagem da Bulgária até Essex, passando por Cherbourg, Rosslare, Dublin e Holyhead, levaria “um total de três a cinco dias”.

De Holyhead, que fica no País de Gales e é parte do Reino Unido, o caminhão teria seguido por estradas até o condado de Essex, que fica ao leste de Londres. Essa jornada incluiu uma etapa final de cerca de 500 quilômetros aos passageiros do caminhão.

O veículo foi encontrado pela polícia na madrugada desta quarta-feira após um alerta dos serviços de ambulância. Um homem de 25 anos, da Irlanda do Norte, foi preso suspeito de envolvimento no caso que está sendo tratado como um homicídio. 

A Polícia de Essex que investiga o caso disse que não foram encontrados sobreviventes no interior do caminhão. A polícia publicou post nas redes sociais pedindo informações que possam ajudar as investigações.