Foto: Divulgação

Nesta época do ano o litoral catarinense é ‘inundado’ por pessoas que buscam diversão, sol e mar nas cidades catarinenses. Alguns destes turistas, por comodidade ou ficarão muitos dias no Estado, preferem alugar imóveis para curtir o tempo de descanso.

E é aí que mora o perigo! Quem for locar pela internet deve prestar atenção e conferir o anúncio de cabo a rabo para não correr o risco de cair no golpe do “falso aluguel”.

Este tipo de crime é cada vez mais comum nas cidades litorâneas. No Rio Grande do Sul, somente nos últimos dias, 21 pessoas foram lesadas por estelionatários.

Na maioria das vezes, o inquilino loca o imóvel e quando chega no endereço a casa não existe ou, se existe, nunca esteve para locação e o valor depositado, não foi para a conta do proprietário, mas sim para o bolso de um estelionatário.

Para prevenir esse tipo de situação cada vez mais comum em Santa catarina, a Polícia Civil preparou uma série de dicas para quem pensa em alugar um imóvel no Estado.

O delegado de polícia da Delegacia de Proteção ao Turista, Renan Scandolara, alerta que a primeira coisa a ser feita é verificar se o preço do imóvel é condizente com outros anúncios similares.

“Anúncios com valores muito abaixo do mercado para esta época do ano em locais de grande procura podem ser indicativos de alguma prática ilícita”, sinaliza o delegado.

Dê preferência por locar um imóvel com um corretor ou imobiliária. Mas, se o negócio for pela internet, faça isso em sites conhecidos e que garantam a devolução do dinheiro em caso de problemas com o imóvel.

Outra dica é ler as avaliações de clientes que já locaram aquela casa ou apartamento. Confira se o endereço realmente existe e, se for possível, agende uma visita prévia antes de fechar o negócio.

Caso não possa ir presencialmente ou pedir para alguém de sua confiança ir para você, pesquise pela internet em serviços de mapas disponíveis. Veja se a imagem do local é a mesma do anúncio.

Na hora de realizar o pagamento, dê preferência para o cartão e evite o pix ou transferência bancária, já que o estorno do dinheiro nestas modalidades é difícil, para não dizer impossível.

Caso ocorra alguma fraude, compareça a uma Delegacia de Polícia e registre o boletim de ocorrência. Leve o que puder: captura de telas, comprovantes de transferências bancárias e o que mais possuir.

Se não puder ou não quiser fazer isso presencialmente, o registro pode ser feito pela internet, através da Delegacia Virtual da Polícia Civil de Santa Catarina.

 

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul