Os socorristas utilizaram equipamentos especiais para cortar a lataria e libertar a guarda municipal Cássia Berguemmayer, que participou da simulação.
Os socorristas utilizaram equipamentos especiais para cortar a lataria e libertar a guarda municipal Cássia Berguemmayer, que participou da simulação.

Tubarão

A simulação do resgate de uma “vítima”, presa às ferragens de um carro após “acidente”, chamou a atenção de muitas pessoas que passaram ontem à tarde pela avenida Marcolino Martins Cabral, ao lado da agência do banco Itaú. A ação fez parte da programação da semana nacional de trânsito, que segue até amanhã com várias atividades.

Integrantes do Corpo de Bombeiros Militar efetuaram o resgate através de desencarceramento, técnica usada para extrair uma pessoa envolvida em um acidente, quando os meios convencionais de saída são impossíveis. O processo inclui a avaliação da vítima, o tratamento e sua remoção.

Segundo o soldado Edmar Feliciano de Oliveira, instrutor de resgate veicular, uma das intenções foi mostrar a dificuldade em fazer um resgate, principalmente quando ficam presas às ferragens. “Existe uma técnica previamente desenvolvida e treinada pelas equipes para este tipo de atendimento. Um procedimento feito de forma errada pode agravar ainda mais a situação da vítima”, alertou o soldado.
A retirada da pessoa depende de dois fatores importantes. Um deles é a equipe treinada e o outro o equipamento apropriado.