Jaguaruna

 
O pastor Alexandro de Oliveira Cruz, de 31 anos, foi condenado a uma pena de 28 anos e sete meses de reclusão em regime fechado. A sentença foi proferida pelo juiz de direito da comarca de Jaguaruna, Welton Rübenich. 
 
Em fevereiro deste ano, policiais civis de Sangão, com o apoio dos de Jaguaruna, investigaram denúncias de que o pastor abusava sexualmente dos fiéis que frequentavam a igreja que ele presidia. Inclusive, as agressões sexuais eram cometidas também contra menores. Algumas vítimas prestaram depoimentos e deram detalhes. Havia um que sofria nas mãos do homem há cinco anos, já que morava em sua casa. Outro até tentou suicídio por causa da violência cometida pelo homem. 
 
As vítimas eram forçadas a fazer o que o pastor lhes obrigava e ameaçadas (junto com os seus parentes) caso revelassem a alguém. A maioria era de famílias de baixa renda, com muitos filhos. O pastor dava-lhes abrigo e os convidava para ‘retiros espirituais’. 
 
O mandando de prisão foi expedido no dia 30 de julho deste ano, data em que ele foi encaminhado ao Presídio Regional de Tubarão, onde aguardava a sentença e continua detido.