Rafael Andrade
Tubarão

O índice assustador de assaltos à mão armada este ano em Tubarão – mais de 100 casos – fez com que a Polícia Militar da cidade tomasse uma atitude preventiva. Nesta sexta-feira, às 16 horas, iniciou a Operação Fecha Quartel. Em resumo, praticamente todos os policiais que atuam em setores administrativos do 5º Batalhão da PM, no bairro São João margem esquerda – cerca de 20 -, juntaram-se aos demais profissionais na rua.

O resultado é o aumento de quase 50% no número de policiais no combate à criminalidade na linha de frente. A operação não tem data para terminar e deve estender-se até o fim do verão. “Tudo por causa dos assaltos à mão armada em pontos comerciais de Tubarão. É demais. Praticamente todos os dias estão ocorrendo. Utilizando toda a força policial que temos podemos prevenir alguns roubos e furtos, além de prender suspeitos, recuperar veículos e apreender armas e drogas”, explica o major Flávio Knaben, comandante do 5º BPM.

Somente nos últimos 15 dias, cerca de 16 assaltos foram registrados na cidade. Em um deles, quarta-feira à noite, uma funcionária da Padaria Daiane, no bairro Revoredo, chegou a ser agredida pelo bandido, que fugiu em uma Courier com placas de São Paulo.

Somente em um ponto da cidade nesta sexta, na avenida Marcolino Martins Cabral, bairro Aeroporto, cerca de 30 policiais militares montaram uma barreira. O foco era motoqueiros e carros suspeitos. “Tudo para evitar um assalto, pois os índices apontam que mais de 90% dos roubos foram feitos por homens que usavam capacetes e fugiram de moto”, lembra Flávio.

“Este tipo de ação é muito interessante ao cidadão do bem. Quanto mais blitze na cidade, melhor. Muita gente com intenção errada será detida”, avalia o mecânico João Bento Mendes.

“Todas as áreas de risco são guarnecidas”

Há quem dica que em alguns pontos de Tubarão a polícia não entra. A cidade tem cerca de 15 regiões de risco. Comunidades com vários setores de venda de crack como a Área Verde, no bairro Passagem; Beco do Quilinho, no bairro Morrotes; Grota e Bom Jesus, no bairro São Martinho; e Beco da Valdete e rótula da ponte, no bairro Fábio Silva, são as mais procuradas por usuários de drogas.

Segundo a avaliação dos profissionais de segurança pública, o tráfico de drogas acarreta em outros crimes. Por isso, as polícias Civil e Militar voltam a atenção aos pontos de risco. “Ao prender os traficantes e diminuir o número de usuários, a comunidade ficará mais tranquila. A PM, por exemplo, faz várias rondas e incursões nestes pontos de risco. Todos são guarnecidos, sem exceção”, garante o major Flávio Knaben, comandante do 5º Batalhão da PM de Tubarão.

Flávio ainda ressalta que as operações em áreas de risco são executadas somente após um planejamento minucioso. Denúncias anônimas podem ser feitas pelo telefone 190.