Uma casa de revista é construída no semiaberto. Visitas de familiares estarão liberadas em poucos dias.
Uma casa de revista é construída no semiaberto. Visitas de familiares estarão liberadas em poucos dias.

Rafael Andrade
Tubarão

Agora já são 30 os presos que ocupam os alojamentos do prédio do regime semiaberto do novo complexo carcerário em construção no bairro Bom Pastor, em Tubarão. Nesta sexta-feira, mais quatro reclusos foram transferidos para o local, que tem capacidade para até 120 reclusos.
A superlotação do atual prédio do Presídio Regional está com os dias contatos. Em janeiro, mais 25 presos devem deixar as apertadas atuais acomodações e ‘instalarem residência na nova casa’.
 

“Este ano, não haverá mais transferências. É uma questão de segurança com a aproximação das festas de Natal e Réveillon. O novo espaço nos dá oportunidade de focar ainda mais a ressocialização”, destaca o diretor da unidade prisional tubaronense, Deiveison Querino Batista.
Sempre há dois agentes penitenciários que fazem a segurança do local, com apoio de Deiveison e do chefe de segurança do presídio, Paulo Damasceno. A Polícia Militar de Tubarão fez um estudo e apontou que são necessários nove policiais para guarnecer o prédio – divididos por plantão de 12 horas. No entanto, não há efetivo suficiente para isso.
 

Com a conclusão do prédio para presos provisórios – que terá capacidade para 288 homens – no fim do verão, conforme previsão do engenheiro responsável pela obra, Gregório Briguenti -, mais 18 PMs serão necessários para atuar no complexo carcerário. O novo comandante da Polícia Militar do estado, que assume o cargo no próximo dia 1º, Nazareno Marceneiro, deverá trazer os 27 policiais necessários para o presídio de outras cidades.