O comerciante cobrou da GM o fato de eles deixarem passar um veículo que apresentava irregularidade.
O comerciante cobrou da GM o fato de eles deixarem passar um veículo que apresentava irregularidade.

Tubarão

A indisposição entre a Guarda Municipal e o comerciante Douglas Pinheiro de Borba, 31 anos, dono de um carrinho de cachorro-quente, ganhou um novo capítulo ontem. No fim da tarde, o comerciante foi parado em uma blitz e o reboque de seu carro guinchado por documentação irregular.

A Guarda Municipal (GM) alega que apenas cumpriu com o seu papel. Já Douglas afirma que se trata de uma perseguição, desde quando foi preso pelos guardas, há menos de um mês. A blitz foi bem próximo à sua casa.
Segundo o guarda municipal Saiber, a barreira de ontem foi um trabalho de rotina. “Ele não portava a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), isto gera multa. O reboque está com a documentação atrasada há dois anos”, explicou Saiber.

Mas o comerciante afirma que a GM está de marcação. “Esta semana, a viatura nº 1 me seguiu desde o meu trabalho (em frente à Casa da Cidadania) até minha casa”, contou.
A CNH de Douglas está em dia. Ele ainda não conseguiu retirar a segunda via porque, em dezembro, perdeu a carteira com todos os documentos.
Na blitz de ontem, no bairro Aeroporto, das 18h10min às 19h40min, 26 motoristas foram parados. Cinco receberam algum tipo de notificação.

Lembre a briga

Uma briga entre a Guarda Municipal e Douglas Pinheiro de Borba, 31 anos, dono de um carrinho de cachorro-quente, no dia 18 de dezembro de 2011, no centro de Tubarão, revoltou a população. A desavença iniciou por causa de uma filmagem da viatura da GM, feita pelo comerciante. Ele foi preso, mas antes houve muito tumulto com agressão física, verbal e a utilização de spray de pimenta pela GM.