Maycon Vianna
Tubarão

Um taxista, na calada da noite, exercendo o seu trabalho dignamente, sempre pronto para mais uma corrida. Uma realidade no mínimo perigosa. Afinal, na madrugada, o risco de assaltos fica ainda maior.
Ontem, por volta de 1h48min, um taxista tubaronense viveu momentos de terror. Dois homens solicitaram uma corrida, da rodoviária até o bairro Campestre. O motorista não desconfiou de nada. Quase no ‘destino’, um deles, armado com uma faca, anunciou o assalto. Alterados, os criminosos ordenavam a vítima a se deslocar até as margens do Rio Tubarão, em direção à Fazenda Santa Isabel, antiga fazenda do Dodô. No caminho, o taxista foi amarrado em um poste e os assaltantes levaram o automóvel.

Os ladrões abandonaram a vítima no local e voltaram em direção ao centro da cidade. Aproximadamente 30 minutos após ficar imobilizado com as cordas, debaixo de muita chuva e com frio, ele conseguiu afrouxar os nós e soltar-se. O homem ainda conseguiu caminhar até a rua Ageu da Silva Medeiros (onde fica a igreja do Campestre) e acionou a PM. O policiais do Centro de Operação da PM (Copom) avisaram os de plantão, que começaram a perseguição aos assaltantes. Nenhum deles foi encontrado em Tubarão.

Por volta das 13 horas, a Polícia Militar de Joinville informou à PM de Tubarão que o veículo (Corsa Sedan branco, ano 2006, com placas de Tubarão) foi abordado no município com dois suspeitos – eles já haviam sido avisados do assalto em Tubarão. Os dois ocupantes foram presos em flagrante e encaminhados à Central de Polícia Civil de Joinville..
Os policiais do norte do estado fizeram diversas buscas e conseguiram concluir a operação com êxito. Os acusados devem responder criminalmente por assalto à mão armada.

Taxistas estão apreensivos após assalto com o colega
O assalto a um taxista de Tubarão na madrugada de ontem no bairro Campestre deixou os companheiros de trabalho em alerta. Um dos profissionais do ponto da rodoviária, localizada no bairro Humaitá, tem receio de ser assaltado. “A gente nunca sabe quem são os passageiros. No período noturno, temos que ficar mais atentos. A prevenção tem que ser feita. E também contar com um pouco de sorte”, afirma o taxista Richard de Oliveira (foto), 26 anos, de Tubarão.

O alerta serve também para os outros dez motoristas que trabalham no ponto de táxi da rodoviária. “Quando fizer uma corrida de madrugada, por exemplo, temos que ficar mais ligados. Sou amigo da vítima e realmente, ao comentar o fato com outros colegas, ficamos com medo, mas faz parte da profissão”, diz o taxista que trabalha na função há sete meses.

A recomendação da Polícia Militar é que, em caso de os passageiros serem suspeitos, o taxista deve comunicar o local de saída e do destino da corrida. “Na madrugada, o risco é maior. Os taxistas devem informar o percurso e evitar reagir a qualquer investida dos bandidos”, orienta o capitão Reinaldo Pires Júnior, da PM de Tubarão.