Rafael Andrade
Tubarão

Fim de tarde, hora da saída de quase 15 mil estudantes de escolas públicas, particulares e de cursinhos em Tubarão. Seria mais um dia comum para uma família gaúcha que reside na cidade há dois anos, mas não foi. Pelo contrário. Foi um fim de tarde desesperador. Uma aluna de 6 anos quase foi raptada por uma falsa avó na escola.

O fato ocorreu terça-feira, mas os pais da criança resolveram divulgar somente ontem. “A diretora da escola não estava na região. Ela estava em uma convenção de pedagogos, por isso, resolvi aguardar a sua chegada e me reunir com ela ontem para que tome providências”, esclarece Heraldo, pai da menina.
A sua filha ficou abalada com a história e com a possibilidade de cair em mãos de estranhos.

Se não fosse a ação rápida do vigia e coordenadores da escola, mais uma história de rapto a criança seria registrado no estado. “A minha ‘vozinha’ mora no Rio Grande do Sul”, relatou a menina ao vigia e à criminosa, que fugiu assim que ouviu.

Na maioria das vezes, os sequestradores ou traficantes de pessoas escolhem e estudam a vítima por vários dias antes de agir. “Fiquei surpreso porque o vigia me informou que a mulher chegou ao colégio dizendo o nome e o sobrenome da minha filha. É uma sensação desesperadora, não tenho mais palavras para descrever”, lamenta Heraldo.
Segundo o vigia, a mulher aparentava ter mais de 50 anos e uma aparência comum. “Não é a primeira vez que a vejo rondando a escola”, relatou.

Boletim de ocorrência e fique atento!

Os pais da menina registrarão boletim de ocorrência da tentativa de rapto hoje de manhã, na Central de Polícia. Os investigadores tentarão identificar a mulher, já que ela continua solta e rondando pela frente das escolas de Tubarão. Por tanto, ensine o seu filho a não falar com estranhos, principalmente na saída dos colégios, quando estão sozinhos.

No caso desta criança, somente uma van escolar cadastrada na escola pode pegá-la. Os diretores das escolas da região costumam solicitar aos pais que deixem o nome e até mesmo fotos de pessoas responsáveis que tenham a permissão de pegar a criança na saída da aula.