Após o trágico acidente que resultou na morte de Sandra Aparecida Pereira, de 47 anos, o caminhoneiro que colidiu na moto em que ela viajava com o marido no último sábado (6), alegou em primeiro depoimento para a polícia que pouco se lembra do fato e que pensou estar em um sonho.

O motorista, de Camaquâ-RS, de 36 anos, retornava com a carreta de São Paulo, quando atingiu o casal Anderson Pereira, 49 anos, e a esposa. Na colisão a caroneira ficou caída com graves ferimentos e foi socorrida, mas faleceu no dia seguinte.

Já Anderson, desmaiou, acordou em seguida e conseguiu se agarrar na cabine do caminhão. A moto do casal ficou presa na dianteira e foi arrastada por 32km, assim como Anderson que ficou pendurado na porta do motorista pedindo para ele parasse.

O caminhoneiro que atropelou o casal, só parou após intervenção de outros motoristas de caminhão que conseguiram cortar as mangueiras de ar do reboque. Ele foi retirado da cabine por populares, agredido e somente com a chegada da polícia as agressões foram interrompidas. Ele foi preso no local e no caminhão foi encontrada uma quantidade de cocaína.

Em seu primeiro depoimento, segundo a Rádio Uirapuru, o motorista alegou pensar que estava em um sonho. Disse também que não falaria mais nada por não se lembrar e que estava há muito tempo sem dormir devido aos rebites ingeridos. O motorista da carreta segue preso.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul