Rafael Andrade
Tubarão

A morte de Antônio Concer Antunes, 81 anos, ontem, chocou Tubarão. Ele tirou a própria vida dentro de sua empresa, a Procarro Autopeças, no centro da cidade, por volta das 9 horas.

O empresário sofria de depressão há alguns anos e fazia tratamentos contra a doença. Nos últimos dias, Antônio demonstrou algumas recaídas. Ontem, ele chegou à empresa da família de carro, estacionou, mas não abriu a porta do veículo, nem os vidros. Funcionários e familiares presenciaram o fato. Antônio sacou um revólver calibre 22 e atirou contra a própria cabeça, na região da nuca.
Imediatamente, o carro foi arrombado e o socorro acionado. Antônio ainda respirava quando foi atendido pelo Samu, mas morreu a caminho do Hospital Nossa Senhora da Conceição.

A tragédia comoveu familiares e amigos, que se reuniram na funerária Santa Terezinha, também no centro, ao longo de todo o dia de ontem. Hoje, às 8h30min, ocorre a missa de corpo presente, na Catedral Diocesana de Tubarão, e, logo após, um cortejo segue para o Cemitério Municipal.

Antônio era muito conhecido em Tubarão e região. Chamado de Seu Néo, deixou esposa – Thomázia Concer Antunes, com quem viveu 58 anos – e quatro filhos – três homens e uma mulher, além de sete netos.
“Meu avô era um homem de personalidade forte. Ele gostava de ajudar as pessoas. Era fantástico. Espelhei-me muito nele”, destaca o neto do empresário, Raphael Faraco de 27 anos.

Esportista e trabalhador

Antônio Concer Antunes era flamenguista fanático e adorava futebol. Gostava de praticar esportes. Ele andava de bicicleta todos os dias, não só porque era recomendado pelos médicos, mas porque tinha prazer em andar, mesmo aos 81 anos.
Fanático pelo flamengo, marcava todo o percurso que praticava. “Ele catalogava os quilômetros que circula de bicicleta. Já tinha chegado aos milhares”, revela o neto Raphael Faraco.

Seu Néo era muito família, mesmo neste período de depressão. Segundo informações de familiares, Seu Néo gostava de ajudar as pessoas, incluindo funcionários, amigos e até desconhecidos. “Seu caráter é gigantesco, sempre foi trabalhador, batalhador e tinha um coração maravilhoso”, relata Faraco.

Depressão na terceira idade

Conhecida como o mal da alma, a depressão é também uma das principais causas de transtornos entre os idosos. Apesar de ser um sintoma comum a todas as fases da vida, na terceira idade, o reconhecimento da doença é prejudicado devido ao preconceito e à dificuldade de obtenção de tratamento adequado.

Um estudo realizado no Brasil por pesquisadores do Departamento de Psicologia Médica da Universidade de Sidney e do Rozelle Hospital, na Austrália, constatou que aproximadamente 10% dos idosos entrevistados que apresentaram quadros depressivos necessitavam de intervenções clínicas.

Um dos aspectos mais preocupantes dessa situação é que a ausência de tratamento pode levar esses indivíduos à morte, seja por meio do suicídio ou pelo surgimento de doenças infecciosas, ataques cardíacos e derrames.