Rafael Andrade
Sangão

Um casal de Sangão – ele de 28 anos e ela de 24 – é investigado pela promotoria pública de Jaguaruna suspeito de praticar maus tratos contra a própria filha de seis meses desde o nascimento. A criança estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neo Natal do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão, desde o último dia 9.

O bebê não resistiu e morreu cinco dias depois – um dia após completar seis meses. A causa da morte foi registrada como falência múltipla de órgãos. O casal é investigado também por negligência familiar.
O caso veio à tona após o Conselho Tutelar de Sangão ser acionado e fazer um acompanhamento na casa da família.

Além do bebê, outros dois filhos ainda moram com o casal – um menino de 2 anos e uma menina de 3. Os pais poderão perder a guarda provisória das crianças – o mais velho, de 4 anos, já está com o tio. A família está preocupada, já que os pequenos apresentam sinais de maus tratos e desnutrição.
A família mora em uma casa emprestada, ganhou todos os móveis necessários e recebe alimentação de parentes e amigos. As contas de água e luz também são pagas por familiares.

O pai das crianças está recluso no Presídio Regional de Tubarão e a mãe não tem emprego fixo. Segundo depoimentos de vizinhos, a mulher bebe e fuma dentro de casa, na companhia das crianças.
A Polícia Civil deverá instaurar um inquérito para confirmar, ou não, a culpa do casal, que, além de perder a guarda dos filhos, poderá ser preso.

Penalidade
Os pais do bebê que morreu supostamente vítima de maus tratos podem ser presos e condenados de dois meses a um ano de prisão, ou multa.

Guarda provisória
No fim da semana passada, o filho mais velho do casal acusado de maus tratos – de 4 anos – foi encaminhado pela justiça à casa de um tio, em Florianópolis, que detém a guarda provisória da criança. O menino teria afirmado que não quer mais voltar para a casa. Parentes dos pais investigados já demonstraram interesse em ficar com as crianças. O Conselho Tutelar de Sangão continua a atender a família, atento a possíveis irregularidades.