Os produtos, rótulos e embalagens estavam acondicionados em local precário na fábrica, fora dos padrões exigidos pela legislação  -   Foto:Polícia Civil de Tubarão/Divulgação/Notisul
Os produtos, rótulos e embalagens estavam acondicionados em local precário na fábrica, fora dos padrões exigidos pela legislação - Foto:Polícia Civil de Tubarão/Divulgação/Notisul

Sangão

Após uma denúncia anônima, policiais civis de Tubarão e de Treze de Maio abordaram, nesta sexta-feira, um veículo com uma carga suspeita na BR-101, entre Sangão e Morro da Fumaça. Ao realizar a busca, foi encontrada matéria-prima para a produção de bebidas alcoólicas sem documentação fiscal. 
 
O motorista confirmou que a carga seria destinada a uma fábrica clandestina, na cidade de Jacinto Machado. O estabelecimento comercial foi localizado e já estava interditado pelo Ministério da Agricultura por falta de estrutura básica para desenvolver as atividades.
 
No local, foi constatada a total falta de higiene. Os produtos, rótulos e embalagens estavam acondicionados em pontos precários, totalmente fora dos padrões exigidos pela legislação sanitária. Ainda foram encontrados fezes de ratos, lagartixas e outros insetos nas prateleiras e no chão da fábrica. 
 
Todo o material foi apreendido e levado para a delegacia de Jacinto Machado. No retorno a Tubarão, os policiais foram em alguns estabelecimentos comerciais no bairro Oficinas, onde encontraram várias garrafas de bebidas alcoólicas expostas à venda, produzidas pela fábrica.  
 
As investigações e os trabalhos foram realizados pela equipe da Delegacia de Combate a Crimes de Trânsito, contra o Meio Ambiente e Consumidor, em Tubarão, e coordenados pelo delegado André Luiz Mendes da Silveira. Os agentes da delegacia de Treze de Maio trabalharam em conjunto na operação.