Rafael Andrade
Armazém

Um crime pouco tradicional ocorreu em Armazém, ontem pela manhã, na agência do Banco do Brasil/Besc. Tudo começou no Dia de Finados, segunda-feira, por volta das 15 horas, em Orleans.
Três homens armados renderam o gerente do Banco do Brasil/Besc, de Armazém, quando ele depositava vasos de flores nos túmulos de parentes e amigos no cemitério de Orleans.

Iniciou, então, uma história desesperadora. Os sequestradores forçaram o gerente a entrar no banco de trás de seu carro e começaram a dar voltas pela região de Orleans.
Ao anoitecer, um quarto bandido juntou-se ao grupo. Eles passaram por São Ludgero, Braço do Norte e, às 3 horas de ontem, chegaram a Gravatal, na casa do gerente, onde se depararam-se com a namorada da vítima, que também foi rendida.

Durante a madrugada, os criminosos tomaram cervejas que estavam na geladeira da residência, comeram chocolates, biscoitos e outros ‘aperitivos’. Enquanto isso, as vítimas estavam amarradas, amordaçadas e trancadas em um quarto. Ao amanhecer, eles deslocaram-se até o banco, no centro de Armazém. No caminho, os bandidos mencionaram que ninguém sairia ferido se houvesse ‘colaboração’.
O grupo chegou ao banco às 8 horas, roubou o dinheiro do cofre da agência e rendeu mais cinco pessoas (uma faxineira, o vigilante, um estagiário, um escriturário e um caixa). Todos foram trancados na sala do cofre.

Às 9 horas, os bandidos saíram do banco, pegaram novamente o carro do gerente e fugiram em direção a Gravatal. Eles abandonaram o veículo a quatro quilômetros.
Ninguém saiu ferido. A Polícia Civil de Armazém investiga o caso. Nenhum suspeito foi detido até ontem, por volta das 23 horas. A superintendência do banco não soube precisar o valor levado, que pode chegar a R$100 mil. Os caixas eletrônicos não foram violados.