Mirna Graciela
Garopaba

 
A onda de arrombamentos a caixas eletrônicos no estado parece não ter fim. Nos últimos três dias, mais duas agências bancárias da região foram invadidas pelos criminosos. Eles tiveram como destino as cidades de Garopaba e São Ludgero. 
 
Ontem, por volta das 5h30min, seis homens entraram no Supermercado Althoff, no Centro de Garopaba. O alvo foi um caixa eletrônico dentro do estabelecimento. No entanto, a ação não se concretizou porque um vigia percebeu a presença do grupo e acionou a Polícia Militar.
 
Eles queimaram a parte externa do equipamento, mas a estrutura não foi danificada. Os arrombadores saíram de mãos vazias, e nenhum produto do supermercado foi levado. Ao perceberem que foram descobertos, fugiram em direção à BR-101.
 
As informações colhidas pela polícia apontam que o carro usado pelo grupo era um Fiesta vermelho. O crime será investigado pela Polícia Civil de Garopaba. Ainda não se sabe se a tentativa foi gravada por câmeras de videomonitoramento. 
 
No último domingo, a agência do Banco do Brasil, em São Ludgero, recebeu a ‘visita’ de três ladrões. Um dos três caixas foi arrombado. Um pedestre que passava foi rendido e liberado sem ferimentos após o trio levar o dinheiro. O valor não foi divulgado. 
 
No último dia 22, um caixa eletrônico do mesmo banco foi arrombado em Capivari de Baixo, mas o dinheiro não foi alcançado. Um policial militar viu os dois homens. Assustada, a dupla escapou em um Honda Civic prata. Desde o ano passado, o crime também ocorreu em agências de Tubarão, Laguna, Jaguaruna, Gravatal, Imaruí e Armazém.
 
 
Muitos arrombadores recebem informações da facção PCC
A audácia dos arrombadores de caixas eletrônicos ultrapassa os limites. Em Santa Catarina, já foram mais de 60 crimes este ano. No fim de semana, um grupo de criminosos foi preso pela diretoria estadual de investigações criminais (Deic) de Florianópolis, no Vale do Itajaí.  
 
Muitas quadrilhas dividem-se e montam estratégias de ataques. Quando não explodem os caixas, usam os maçaricos. Um sítio naquela região foi onde uma delas aprendeu táticas militares da ação criminal. Os ‘professores’ são integrantes da facção criminosa paulista Primeiro Comando da Capital (PCC) que vêm a Santa Catarina para passar os macetes. 
 
O local foi adaptado para treinamentos de caminhar tático, segurança de área, perímetro e fuzil, do armamento mais letal que perfura blindagem de carro forte e de colete de policiais. 
 
 
Projeto de lei 
Um projeto de lei que torna obrigatória a instalação de dispositivo de segurança nas agências bancárias do estado foi protocolado na assembleia legislativa pelo deputado estadual Manoel Mota. O mecanismo tem que ocorrer por meio de sensor de presença e alarme sonoro nas áreas de auto atendimento a partir do término das operações até a reabertura. O projeto segue agora para deliberação das comissões permanentes do parlamento catarinense. A primeira comissão a analisar a matéria será a Comissão de Constituição e Justiça.