#Pracegover Na foto, sirene da polícia

Em Laguna, um homem foi indiciado após a Polícia Civil concluir um Inquérito e constatar que ele mentiu ao registrar um boletim de ocorrência e em depoimento. A DPCo – Laguna iniciou investigação com o objetivo de apurar possível ameaça exercida com o emprego de arma de fogo, a qual teria ocorrido em setembro do ano passado, na região de Morro Grande.

De acordo com a suposta vítima da ameaça, seu irmão o teria ameaçado com uma  espingarda de dois canos. Durante depoimento disseque essa não era a primeira vez, e que já havia visto o irmão com um revólver.

A representou um mandado de busca e apreensão no endereço do homem que supostamente tinha posse das armas e não foi encontrado indícios da existência de arma de fogo.

Ainda conforme a polícia, o suposto autor da ameaça afirmou que, embora tenha certa desavença com seu irmão, não possuía qualquer tipo de armamento e que a denúncia não tinha procedimento. Familiares foram ouvidos e confirmaram a inexistência das armas.

De acordo com o William Testoni, que preside a investigação, “ficou evidente que um irmão, mesmo sabendo da inocência do outro, imputou a este um crime que nem sequer existiu. Além da falta de respeito com a atividade policial, já que gerou a realização de diligências e dispêndio de recursos públicos”

O delegado entendeu que a suposta vítima cometeu o crime de Denunciação Caluniosa (v. art. 339, caput, CP), crime que prevê pena de reclusão, de dois a oito anos, e multa. O Inquérito Policial foi concluído e encaminhado ao Ministério Público para deliberação.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul