Laguna

Um dos crimes que ocorre com frequência no Brasil é a receptação. As pessoas sabem que é errado comprar ou aceitar – mesmo que de forma gratuita, o que é praticamente raro – material proveniente de furto ou roubo. Tudo que é vendido sem nota ou sem procedência garantida é produto ilícito. E tem gente que cisma em dizer que é correto, pratica o bem, mas, por achar que não é nada grave, pratica a receptação. Mas a polícia alerta! Vai preso também!

E isso pode ocorrer para quem adquirir um dos 120 chips da TIM roubados de um funcionário da operadora na segunda-feira dentro da Padaria Paraíso, na rua João Pessoa, bairro Magalhães, em Laguna. A vítima, 39, presta serviço de recargas em vários postos de vendas da Cidade Juliana e foi surpreendido pelo bandido, que estava armado e ainda levou R$ 5 mil do local. A Polícia Militar foi acionada, realizou várias rondas, mas o suspeito não foi localizado. Foi confeccionado um boletim de ocorrência ainda na padaria. Não houve feridos durante a ocorrência.

O artigo 180 do Código Penal Brasileiro (CPB), o qual resume: “adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, resulta em reclusão de um a quatro anos e multa”.