Os dois eram acusados de furtar, em março deste ano, aproximadamente 100 quilos de maconha. - Fotos: Divulgação/Notisul.
Os dois eram acusados de furtar, em março deste ano, aproximadamente 100 quilos de maconha. - Fotos: Divulgação/Notisul.

Orleans

A juíza da 2ª Vara do Fórum da Comarca de Imbituba, Taynara Goessel, condenou o policial civil Murillo Brasiliense Mota e seu cúmplice, Riander Pacheco dos Santos, a penas de dez anos e seis meses, e sete anos e um mês em regime fechado por tráfico de drogas.

Os dois eram acusados de furtar, em março deste ano, aproximadamente 100 quilos de maconha. A droga havia sido apreendida e estava guardada na delegacia. O entorpecente foi encontrada na casa do policial Murillo, em Imaruí, e com isso, o mesmo, foi preso em flagrante à época. O outro envolvido, Riander Pacheco, foi posteriormente preso nas proximidades da praça central do bairro Nova Brasília, em Imbituba.

O delegado Raphael Johann Giordani disse que “é feita a justiça. Consequência essa também do nosso trabalho, pois assim que tomamos ciência do desvio prontamente e sem constrangimento agimos para corrigir. Os agora condenados foram presos (um em flagrante e o outro posteriormente preventivamente). Penso que assim devem se manter até o total cumprimento da pena imposta pelo judiciário, onde tiveram direito ao contraditório e ampla defesa”, lembra.

Na data da prisão dos envolvidos, Giordani havia declarado que “a Polícia Civil de Santa Catarina não se constrangeu e nem irá se constranger em corrigir de forma exemplar os desvios nela ocorrido.