São Ludgero

Começou hoje, pouco das 10 horas o júri popular de Luan Loch, padrasto de Mariah Della Giustina. Ele é acusado de matar a criança, que tinha apenas 10 meses de vida, no ano passado, em Braço do Norte.  O caso teve grande repercussão em toda a região, e o júri está acontecendo no Plenário da Câmara Municipal de São Ludgero. 

Em 25 de fevereiro de 2017, segundo denúncias, Luan e um cunhado chegaram a levar a bebê ao Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte, e informaram a primeira versão sobre a possível causa da morte: engasgamento por ingestão de iogurte. A mãe da criança, Taynara Della Giustina, que também tinha 21 anos, estava no trabalho em um salão de beleza no momento da tragédia. Ela também prestou esclarecimentos na polícia e foi liberada.

A casa da família fica no bairro Lado da União, e a bebê já teria chegado ao hospital sem os sinais vitais. O Instituto Médico-Legal de Tubarão precisou recolher o corpo na unidade clínica para realizar exames, o que, em um deles, teria apontado asfixia.

Após investigações, Luan foi autuado por homicídio duplamente qualificado, com uma pena que pode variar de 12 a 30 anos de prisão. O flagrante foi encaminhado para o judiciário, que transformou a reclusão em preventiva. Agora, caberá ao júri definir os rumos da condenação. Logo após a prisão, a família do acusado contestou a autoria do crime.