Maycon Vianna
Laguna

Um crime bárbaro foi descoberto nesta sexta-feira por moradores da localidade de Alagamar, no bairro Vila Vitória, em Laguna. Os vizinhos sentiram um forte cheiro na casa vítima, de madeira. Por volta das 10 horas, eles acionaram os policiais militares, que entraram no terreno e arrombaram a porta da residência.
Zila Marcílio, 38 anos, foi encontrada morta em dos quartos, deitada em uma cama de casal, com vários cobertores por cima. O assassinato ocorreu na terça-feira à noite e, desde então, o criminoso, Fernando da Silva Calegari, 25 anos, dizia para os amigos e outros conhecidos do casal que a sua companheira havia viajado.

O homem confessou o crime e disse, em depoimento à delegada Vera Lessa Garcia, da delegacia da mulher da Polícia Civil de Laguna, que depois de uma discussão, a mulher havia o agredido com golpes nas costas. Então ele reagiu e, em seguida, começou a dar socos e pontapés na mulher, além de apertar fortemente o seu pescoço.

Ela morreu no local por estrangulamento e, quando o rapaz percebeu que ela não tinha mais os sinais vitais, resolveu esconder o corpo em casa. Foram três dias até a descoberta do crime.
Fernando tem 11 passagens pela polícia (duas acusações por homicídio), dez registros só na delegacia de Içara. Com o acusado de assassinato, foram presas mais quatro pessoas, acusadas de receptação (compra de produtos de origem duvidosa, como eletrodomésticos furtados, por exemplo).

Um televisor de 29 polegadas e um aparelho de som foram apreendidos pela Polícia Militar. Os quatro suspeitos foram indiciados e responderão a um termo circunstanciado. Já o assassino, foi preso em flagrante pelos policiais logo após a descoberta do crime e encaminhado à Central de Polícia Civil de Laguna e, na sequência, à Unidade Prisional Avançada da cidade. “Agora, depende da justiça, mas ele deve responder possivelmente por homicídio qualificado com prisão em flagrante delito e pode pegar até 30 anos de prisão”, adianta a delegada Vera.