Balneário Arroio do Silva 

Uma jovem de 21 anos foi brutalmente assassinada por volta das 18 horas dessa terça-feira (16) dentro de sua própria residência no bairro Erechim, em Balneário Arroio do Silva. Francine da Silva Peres se preparava para entrar no banho quando foi surpreendida por um homem, de 34 anos, que invadiu sua casa e a esfaqueou ainda no banheiro.

Antes do assassino fugir sem levar nada, uma tia e uma prima de Francine chegaram na casa e encontraram o autor das facadas. O criminoso ordenou que elas ficassem quietas e fugiu em seguida. Após a fuga do bandido, a tia e a prima perceberam sangue pelo imóvel e iniciaram buscas por Francine que foi encontrada esfaqueada dentro do banheiro.

A Polícia Militar do município foi acionada e encontrou o homem na região central de Balneário Arroio do Silva momentos depois. Ele estava com a camiseta ensanguentada e com a faca utilizada no crime.

O assassino, que já tem passagens policiais e é natural do Rio Grande do Sul, foi encaminhado à Delegacia de Polícia de Balneário Arroio do Silva, onde confessou o crime. Momentos antes de cometer o homicídio, o criminoso havia entrado em outra residência e também não havia levado nada.

Assassinato na noite anterior

Na Delegacia de Polícia, o autor relatou ainda que na noite anterior havia cometido outro homicídio na cidade. Os agentes da Polícia Civil se deslocaram até o imóvel apontado e encontraram Joelcio João Inácio, de 50 anos, morto deitado em uma cama. Ao lado do corpo foi encontrada uma faca, possivelmente utilizada no crime. Inácio era conhecido do meio policial por tráfico de drogas e furtos.

O Instituto Médico Legal (IML) de Araranguá foi acionado para recolher os corpos das vítimas e o Instituto Geral de Perícias (IGP) também esteve presente durante as ocorrências.

Mãe e estudante

Francine trabalhava na prefeitura do Balneário Arroio do Silva, era mãe de um menino de dois anos e estudava fisioterapia na Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc). A jovem se preparava para ir à universidade no momento do crime.

Fonte: Engeplus