#Pracegover Foto: na imagem há uma viatura da polícia próximo há algumas casas em uma rua. No canto a foto da vítima
#Pracegover Foto: na imagem há uma viatura da polícia próximo há algumas casas em uma rua. No canto a foto da vítima

Uma mulher de 42 anos e um homem de 28 anos foram presos, nesta sexta-feira (25), pela manhã acusados de matar um cadeirante em junho. O crime ocorreu no centro, de Jaguaruna. A mulher era esposa da vítima.

Segundo relatos o executor do assassinato foi contratado mediante promessa pecuniária. A vítima morreu com um tiro na cabeça. De acordo com uma testemunha, um homem com sotaque gaúcho entrou na residência com o rosto coberto e com uma arma de fogo efetuou um disparo. Ele ainda revirou um armário para simular que teria sido latrocínio.

Após aproximadamente quatro meses de investigação, a Polícia Civil de Santa Catarina, por intermédio da Delegacia de Polícia de Jaguaruna, concluiu que o crime fora executado por um homem de 28 anos, natural do Estado do Rio Grande do Sul. No último dia 16, em Porto Alegre, a equipe de investigação da Delegacia de Polícia de Jaguaruna deu cumprimento ao mandado de prisão temporária – posteriormente convertida em preventiva – expedido em desfavor do executor do crime, o qual permanece recolhido na penitenciária de Canoas.

Nesta sexta-feira (25), foi dado cumprimento ao mandado de prisão preventiva expedido em desfavor da mandante do crime, a qual foi posteriormente encaminhada ao Presídio Feminino de Tubarão. Todas as ordens cautelares foram expedidas pela 2ª Vara da Comarca de Jaguaruna, após parecer favorável do Ministério Público.