Rafael Andrade
Tubarão

Os depoimentos de mais seis agentes penitenciários do Presídio Regional de Tubarão foram tomados ontem e segunda-feira, pelos corregedores da Secretaria de Justiça e Cidadania (SJC). No total, foram mais de 15 horas de conversas. Entre os seis ouvidos, uma foi a agente detida em Imbituba na noite de 9 de dezembro de 2009. Segundo ela, não houve crime nem imprudência disciplinar administrativa.

Ela e outro agente – terceirizado – foram detidos pela Polícia Civil de Imbituba com dois presidiários acusados de tráfico. Alegaram ter ido até a praia do Rosa para buscar um notebook e fiação elétrica, com aval do diretor afastado, Fabrício Buss de Medeiros. “Ela relatou que agiram com consentimento de Fabrício”, informa Cleto Navagio de Oliveira, responsável pelas investigações da sindicância aberta contra os acusados.

Os outros cinco agentes ouvidos trabalhavam no presídio na noite da prisão. Cleto pode apontar um desfecho do caso em 17 dias. “Agora, ouvimos oficialmente todos os envolvidos. Vamos avaliar todos os depoimentos e definir se houve infração disciplinar ou não”, explica.

Marcelo Lorega Duarte, membro da corregedoria da SJC, acompanhou os depoimentos e diz que nada está definido. “Vamos apontar a conclusão até o fim deste mês. O processo está adiantado”, garante Marcelo.