O pai que matou a filha queimada dentro de um carro no último domingo (05/05/2019) em Nova York, Estados Unidos, fez várias ameaças à mãe e aos familiares dela antes de cometer o ato. Segundo o jornal NY Post, Martin Pereira ligou para um primo de Cherone Coleman e avisou que iria assassinar a menina. “Junte seus irmão e chame a polícia. Vou me matar e matar a bebê”, disse Martin por telefone.

A partir daí, a família se desesperou. Eles ligaram para a polícia e a mãe telefonou para Martin. Ao ouvir que havia parentes dela falando com os oficiais, ele se irritou. “Eu sei que você está em contato com os tiras”, gritou ao telefone, segundo Cherone, em entrevista ao NY Post. “E o que tem? Estou falando com eles? Você está doido? Cadê a minha filha?”, respondeu a mulher.

Martin, então, disse a frase que fez Cherone se desesperar ainda mais. “Sim, eu vou fazer você ficar louca. Nunca mais verá sua filha de novo”, afirmou o assassino ao desligar o telefone. Cherone tentou ligar de novo, mas o homem só falava coisas sem sentido e palavrões.

Logo depois, veio a notícia de que um carro estava pegando fogo. Segundo informações da polícia, Martin Pereira estava em uma disputa judicial pela guarda de Zoey Pereira com a mãe. Ele teria colocado a criança dentro do veículo, a prendeu na cadeirinha, trancou as portas e ateou fogo no carro.

A pequena Zoey foi encontrada dentro do veículo em chamas e levada para o hospital, mas não resistiu. “Após ver minha filha, eu sabia que não teria chances de sobreviver. Sabia que estava morta. O funeral dela será com o caixão fechado. Não quero que ninguém a veja desse jeito”, disse Cherone.

Martin continua internado no hospital com queimaduras em 70% do corpo de segundo e terceiro graus. O assassino está sob custódia da polícia.