Maycon Vianna
Imaruí

Um incêndio em uma residência de dois andares na Estrada Geral do Rio Prainha, em Imaruí, está cercado de mistério para as polícias Civil, Militar e integrantes dos bombeiros. O fogo iniciou logo no início da manhã de ontem, por volta das 7 horas. A Polícia Militar de Imaruí foi avisada, o Corpo de Bombeiros de Laguna atendeu a ocorrência, deslocou um caminhão para conter as chamas.

A equipe chegou ao local e percebeu que a parte da frente da casa, no segundo piso, estava toda queimada. “Os nossos soldados saíram da base por volta das 7h10min e retornaram por volta das 8h50min. Foi tudo muito rápido. Creio que os moradores conseguiram conter as chamas utilizando mangueiras comuns”, avalia o sargento Manoel Tadeu de Souza, do Corpo de Bombeiros de Laguna.

Os investigadores da Polícia Civil de Imaruí suspeitam que o incêndio tenha sido criminoso, pois a residência pertence a familiares do jovem de 17 anos que assassinou com dois tiros Horácio de Oliveira, na localidade de Rio Prainha, no último dia 21. Ao que tudo indica, a briga foi motivada pela cobrança de uma dívida antiga. O caso causou comoção nos moradores da localidade e também na família da vítima. O menor não foi preso e aguarda decisão judicial.

“Os peritos chegaram ao local e investigam se houve sabotagem. Ainda não dá para precisar se houve intenção de incendiar a casa. O certo mesmo é que ninguém ficou ferido”, diz um policial da cidade.
O sargento Manoel Tadeu de Souza não acredita na hipótese de incêndio criminoso. “Não é possível confirmar, mas não há indícios de combustíveis (gasolina, álcool, diesel) espalhados no local. Creio que pode ter sido um curto-circuito ou algum problema técnico em um eletrodoméstico”, analisa.