Zahyra Mattar
Tubarão

Quando o pedreiro Orlando Buzatti, de 39 anos, recebeu a ligação de sua família relatando que um incêndio ocorria praticamente a cinco metros de sua casa, ele não pensou duas vezes: saiu em disparada ao bairro Guarda Margem Direita para socorrer a esposa e os filhos. Um dos seus colegas e vizinho fez o mesmo.

Quando chegaram, encontraram todas as famílias que circundam um grande terreno apavoradas com o ocorrido.
O mato que cobria o lote pegou fogo e, por muito pouco, não alcançou as casas vizinhas. O Corpo de Bombeiros foi rapidamente acionado pelos moradores.

Porém, confirma que no meio do caminho recebeu outra ligação de que nada demais tinha ocorrido e retornou. Os próprio moradores trataram de contornar a situação com mangueiras e baldes de água. O lote ficou totalmente queimado.

A dona de casa Ana Paula de Oliveira, 19, teve a blusa queimada e o pescoço machucado. Ele conta que a sua filha de 4 anos tomava banho de mangueira nos fundos da residência, parte esta que faz ‘divisa’ com o lote em chamas. “Foi assustador. Só pensei na menina”, testemunha. Ela e as outras famílias deixaram as suas casas com medo por causa da fumaça.