Ontem, por volta das 18h30min, este era o cenário da BR-101 no trecho da Cidade Azul, perto do Motel Champagne.
Ontem, por volta das 18h30min, este era o cenário da BR-101 no trecho da Cidade Azul, perto do Motel Champagne.

Mirna Graciela
Tubarão

Sofrimento em dose dupla. Foi o que muitas pessoas passaram ao trafegar ontem pela BR-101. Isto porque enfrentar as filas já é algo que requer muita paciência e, com o forte calor, tudo ficou insuportável. Houve quem passou mal durante o trajeto e precisou de atendimento médico em função de desmaios por causa da alta temperatura.

Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Tubarão, desde o início da operação Fim de Ano ontem foi o pior dia na BR-101. Além de haver maior número de veículos em circulação, os congestionamentos eram quilométricos.
Pela manhã, no sentido norte, a fila começava em Pescaria Brava e seguia até Laguna. Após ao meio-dia, a situação complicou-se ainda mais. O congestionamento começava em Tubarão, a partir do Motel Champagne, e seguia até a Cidade Juliana.

O trânsito fluiu muito lentamente até tarde da noite. Já no sentido contrário, o movimento foi normal ao longo do dia para quem circulou pelo trecho sul. No entanto, quem estava na região da Grande Florianópolis e tinha a pretensão de vir para o sul, enfrentou problemas durante a manhã e boa parte da tarde.

Um caminhão tombou no Morro dos Cavalos, em Palhoça, por volta das 6h15min. Os motoristas levaram cerca de duas horas para trafegar nos dois sentidos, segundo a PRF de Paulo Lopes. O empresário Dênis Martins levou 9 horas para fazer o trajeto entre Tubarão a Florianópolis. Ele saiu às 8h45min da Cidade Azul e chegou na capital às 16h45min.
“Além do congestionamento, outros pequenos acidentes deixaram o trânsito ainda mais tumultuado. Isto, aliado ao calor, foi de tirar a paciência”, reclama Dênis, ao completar: “Agora é rezar para a volta ser mais tranquila”.

Mais ao norte, entre Paulo Lopes e São José, a situação não era diferente. Foto: Dênis Martins/Divulgação/Notisul

Número de mortes supera anos anteriores

O resultado parcial da operação Fim de Ano revela uma estatística péssima: o número de mortes nas estradas federais de Santa Catarina foi maior do que o registrado no ano passado e em 2010. Os dados são referente apenas até o dia do Natal – nesta terça-feira -, e foram divulgados ontem pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).
Neste ano foram 14 mortes em rodovias federais (11 na BR-101), enquanto em 2011 foram 13 no total. Em 2010 sete pessoas morreram. No entanto, o total de colisões foi menor. Foram 321 acidentes contra 406 ocorridos em 2011, e 350 em 2010.

De acordo com a PRF, os acidentes mais graves ocorreram em Tubarão, onde três pessoas morreram, e em Piçarras, com o registro de quatro mortes. As duas colisões ocorreram em pista dupla e foram frontais. Todos os condutores envolvidos em acidentes fatais, neste ano, eram homens.
Durante estes primeiros cinco dias de operação, foram flagrados 61 motoristas embriagados. Os policiais também registraram 4.848 imagens de carros que trafegavam em excesso de velocidade, além de multarem 2.637 pessoas.