Rafael Andrade
Tubarão
 
Um idoso de 61 anos, ex-gerente de uma agência bancária de Tubarão, pode ser preso a qualquer momento pela equipe da Delegacia da Criança, do Adolescente e de Proteção à Mulher e ao Idoso. Ele contou ao delegado Jair Tártari os detalhes sobre os abusos cometido por ele contra uma menina de 10 anos, na casa da bisavó da criança, em outubro e novembro do ano passado.
 
O homem ainda responde o processo em liberdade porque colabora com as investigações e mantém residência fixa na cidade. O relatório final do inquérito será concluído na próxima semana e encaminhado ao Ministério Público, que fará a análise do processo e poderá decidir pela prisão do homem. “Ele deverá ser enquadrado por estupro de vulnerável – artigo 217 A do Código Penal Brasileiro -, mas ainda faltam alguns detalhes para concluir o inquérito”, informa Tártari.
 
O bancário aposentado já tinha confessado ter abusado sexualmente da menina no começo das investigações. Em depoimento, ele relatou que colocava as mãos por dentro da calcinha e mexia na vagina da menina por vários minutos. Em um desses abusos, a criança chegou a se machucar devido às unhas grandes do acusado.
 
O pedófilo teve contato com a sua vítima devido a um pequeno grau de parentesco. Ele é casado com a tia do pai da menina.
Os molestamentos ocorriam sempre quando não havia outras pessoas por perto. A menina foi submetida a exames de corpo de delito no Instituto Geral de Perícias (IGP) de Tubarão, onde ficaram comprovadas algumas lesões na vagina. A sua avó foi quem fez o registro do boletim de ocorrência, assim que soube do crime.