O Instituto Geral de Perícias (IGP) encontrou fuligem até o último andar do prédio

Priscila Ladislau
Braço do Norte

A Polícia Civil de Braço Norte abriu um inquérito policial para investigar as possíveis causas do incêndio, que ocorreu no Hotel Rech na madrugada de domingo (30). O Instituto Geral de Perícias (IGP) esteve trabalhando nesta terça-feira (2) no local, que segue isolado, e encontrou fuligem até o último andar do edifício. A Polícia Civil agora tem 30 dias para finalizar o inquérito e determinar as causas, sejam elas intencionais ou não. “Estamos trabalhando com todas as hipóteses. O inquérito é um instrumento policial, onde possibilita reunir elementos para apontar os fatos.” informou o delegado de polícia da Comarca de Braço do Norte, Cristiano Léo Fabiani

Ainda segundo o delegado, a questão dos alvarás faz parte da área administrativa, e eles podem ou não ter repercussão criminal.

Em relação à única porta de saída, segundo o Corpo de Bombeiros, as normas de segurança internacionais permitem para aquele tipo de edificação, apenas uma saída de emergência. O Hotel Rech não possuía alvará sanitário, que é emitido pela prefeitura e alvará de funcionamento, emitido pelo Corpo de Bombeiros. Ainda segundo o comandante do 8º Batalhão de Bombeiros Militar, Tenente-Coronel BM Marcos Aurélio Barcelos, o alvará de funcionamento estava ativo até o dia 31 de março de 2016. “O prédio foi construído na década de 60 e teve que sofrer adequações. Ele teve o projeto aprovado em 2007, o habite-se liberado em 2009 e até o dia 31 de março de 2016 estava em funcionamento regular”, informou Coronel Barcelos.  O proprietário será notificado para regularizar a situação, perante as normas de segurança contra incêndio e pânico.

Três pessoas morreram no incêndio

No incêndio, morreram a adolescente Yasmin Strege de 13 anos, Cristina Schimitt de 59 e Alexandre Frontino de 32 anos, que foi encontrado em um banheiro do terceiro andar.

O pai da menina que morreu está internado em estado grave no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. Ele está com muita fumaça nos pulmões e vias respiratórias. Outros três hóspedes foram encaminhados ao Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte, mas o seu estado de saúde é estável.

O fogo, iniciado por volta das 2h30min, aterrorizou hóspedes e funcionários, que ficaram trancados no estabelecimento até o incêndio ser totalmente controlado. Muitos gritavam nas janelas e a situação foi de desespero.

Foto: Alexandre Frazão/Portal Notisul