Rafael Andrade
Pedras Grandes

O empresário e desportista Bento de Souza, 56 anos, foi assassinado nesta sexta-feira, por volta das 3 horas, em uma região rural de Pedras Grandes. O caso iniciou em Laguna, no apartamento da vítima, no bairro Mar Grosso.

Como era rotineiro, Bento chegou a seu apartamento de sua caminhada diária à beira-mar por volta das 18h30min de quinta-feira. Na entrada, ele foi rendido e levado para dentro do imóvel. O apartamento foi todo revirado e levada uma quantia em dinheiro (o valor ainda não levantado pela família). A diarista Magda Cristina Alves foi quem encontrou a porta aberta e o local bagunçado.

Após o roubo, Bento passou por momentos cruéis. Ele foi sequestrado, amarrado e morto com 11 disparos de pistola na cabeça e no tórax, algumas horas.
A Polícia Civil de Laguna, Tubarão e Pedras Grandes investiga o crime. Nenhum suspeito foi detido.
O carro da vítima, uma Mitsubichi cabine fechada, foi encontrado na Madre, em Tubarão, próximo à Fazenda Santa Isabel (ex-Fazenda do Dodô), também em uma região rural.

Bento era sócio-proprietário da JF Guinchos, em Tubarão, e dirigente esportivo do clube de futebol amador Show do Esporte, de Laguna. “Meu irmão era uma pessoa de boa índole. Não tinha inimigos. Foi uma crueldade sem igual que fizeram com Bento”, lamenta João Manoel de Souza, 79 anos, seu irmão mais velho. Bento era o caçula de nove irmãos.

“Bento era muito família. Ele sempre participava de reuniões e confraternizações familiares. Meu mano sempre visitava o túmulo de nossa mãe. Era muito ligado a ela”, revela o irmão Francisco dos Santos Justino, conhecido como Seu Chico, vereador em Capivari de Baixo.