Tubarão

O julgamento de um dos acusados de assassinar o borracheiro Emerson Oliveira Alves, o Pepe, 27 anos, morto há quase três anos, foi novamente adiado. O júri popular estava marcado para ocorrer ontem à tarde e foi transferido para a próxima quarta-feira. Novamente, o advogado e o réu não puderam comparecer.

O motivo: uma barreira com quase dez toneladas de terra caiu sobre a BR-101, no Morro dos Cavalos, em Palhoça. Foram quase 50 quilômetros de congestionamento, inclusive dos carros do jurista e do acusado, além de viaturas da Polícia Militar que escoltavam o réu. Ele retornou à Penitenciária de Florianópolis.

Pepe foi executado com 15 tiros por dois homens que estavam em uma moto, na rua José Venâncio, bairro São João, em Tubarão. Ele conduzia uma Biz quando foi surpreendido pelos assassinos, que fugiram.
O julgamento de ontem estava marcado para ocorrer no último dia 5, mas teve que ser transferido também pelo não comparecimento do advogado do réu.