Publicado às 19h45min deste sábado (11/3/2017)

Cachoeirinha (RS)

Um homicídio em plena escola envolvendo adolescentes fez com que a polícia de Cachoeirinha, no Estado gaúcho, trabalhasse de forma ininterrupta desde o dia do crime  – esta quarta-feira (8). O delegado que investiga o caso da morte de Marta Avelhaneda Gonçalves, 14 anos, em pleno Dia Internacional das Mulheres, acredita que a motivação do homicídio seja uma desavença por ciúmes, segundo constatou nos depoimentos. Marta morreu após uma briga dentro da sala de aula na Escola Estadual de Ensino Básico Luiz de Camões, no bairro Bom Princípio. Ela havia se mudado com a família de Porto Alegre para a cidade da Região Metropolitana da capital gaúcha em dezembro de 2016, ou seja, era nova na escola.

“Pelo que se percebeu, uma das envolvidas – seriam três – teria um namorado, e este rapaz teve um primeiro contato com a vítima. Ciúmes poderia ter ocasionado essa briga. Vamos buscar testemunhas, funcionários da escola, e apurar a eventual responsabilização, omissão, que teria ocorrido por parte dos gestores daquele local”, afirma o delegado Leonel Baldasso.

O corpo de Marta foi enterrado no fim da tarde desta quinta-feira. Nesta sexta-feira (10), a polícia deve começar a ouvir testemunhas, e pretende fazer uma acareação entre as três alunas suspeitas, duas de 12 anos e uma de 13, que, caso sejam acusadas, podem responder o ato infracional por agressão seguida de morte ou até mesmo homicídio.