#PraCegoVer Na foto, a fachada do Fórum de Palhoça
Sessão do Júri de Palhoça ocorreu nesta sexta-feira (18) e durou aproximadamente 11 horas - Foto: TJSC | Divulgação

Um homem foi condenado a 19 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado pelo Tribunal do Júri de Palhoça. A sessão, nesta sexta-feira (18), durou cerca de 11 horas e foi presidida pelo juiz Fúlvio Borges Filho, titular da 1ª Vara Criminal. O réu foi considerado culpado pelos crimes de feminicídio, ocultação de cadáver e falsa identidade. Segundo a denúncia do Ministério Público de Santa Catarina, ele assassinou a companheira na noite de 10 de julho de 2020 na casa onde eles moravam, na localidade Ponte do Imaruim. Após discussão, o acusado agarrou a mulher pelo pescoço e causou sua morte por asfixia mediante esganadura.

Na sequência, já de madrugada, colocou o corpo da vítima no porta-malas do seu Renault Clio e, na manhã seguinte, por volta das 7 horas, dirigiu-se com o veículo até o estacionamento de um supermercado de São José. Ele deixou o veículo no lugar e  hospedou-se em uma hotel no centro de Florianópolis, onde apresentou-se sob falsa identidade como forma de evitar sua localização. A tentativa foi infrutífera. Nos debates entre defesa e acusação, ficou registrado o perfil violento do réu que, com apenas um ano de relacionamento com a vítima, já possuía histórico de agressões e brigas constantes. Ele, que respondeu ao processo na prisão, não terá direito a recorrer em liberdade.

Fonte: Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Edição: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul