Um homem foi preso em flagrante nesta quarta-feira (25), por estupro, cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal de uma mulher. Acusado é morador de Garuva, Norte de Santa Catarina, cidade onde foi preso.

O caso teve início nesta terça-feira (24), quando a vítima foi abordada pelo homem. Sob ameaça de morte contra ela e seus filhos, o suspeito a obrigou entrar em seu veículo e, em seguida, dirigiu até Garuva.

Lá o acusado levou a mulher até um terreno baldio, onde cometeu o crime de estupro. Após resistir contra a violência, ela foi agredida com socos. Posteriormente, foi levada até a casa do agressor, onde foi mantida em cárcere e novamente violentada sexualmente.

Na quarta-feira (25), o acusado ainda teria trancado a vítima em seu quarto e retirado todos os seus pertences, como celular, documentos, dinheiro e bolsa. Além disso, ainda na terça-feira, homem também mandou que a vítima pedisse demissão do trabalhando, alegando que estaria saindo de Curitiba, cidade onde reside.

 

Denúncia

A Polícia Civil do Paraná recebeu a denúncia sobre suposto cárcere privado pela gerente da empresa em que a vítima trabalha, que soube do desaparecimento da vítima pela filha dele, que estava procurando a mãe.

O agressor, sabendo que a polícia estaria em busca da vítima, resolveu levá-la até a Delegacia de Polícia de Garuva. A intenção dele era que a mulher negasse qualquer crime e afirmasse que estaria na cidade por vontade própria.

Ao encontrarem a vítima, os policiais catarinenses notaram que ela tinha diversas lesões no rosto e dificuldades para caminhar. Em seguida, ela decidiu denunciar o homem. Segundo relatado, os crimes teriam sido motivados por conta de um suposto registro de abuso sofrido por sua filha e praticado por ele.

A partir disso, o homem foi localizou e prendeu em flagrante pelos crimes de cárcere privado, estupro, lesão corporal e constrangimento ilegal contra a vítima. A prisão preventiva já foi solicitada ao judiciário.

De acordo com a Polícia Civil, o agressor permaneceu em silêncio durante interrogatório e, posteriormente, encaminhado ao Presídio de Joinville.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: O Município