Motorista de Peugeot disse à polícia que pedestre estava acocado no meio da pista, viu o seu carro e deu pulo, mas não deu tempo de desviar   - Foto:Polícia Militar Rodoviária (PMRv)-posto de Gravatal/Divulgação/Notisul
Motorista de Peugeot disse à polícia que pedestre estava acocado no meio da pista, viu o seu carro e deu pulo, mas não deu tempo de desviar - Foto:Polícia Militar Rodoviária (PMRv)-posto de Gravatal/Divulgação/Notisul

Gravatal

Um homem de 57 anos morreu a caminho do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) na noite de ontem. Adélio Gomes Corrêa estava sobre a pista da SC-370 quando foi atropelado por volta das 19h50min por um motorista de um Peugeot/206 com placas de Gravatal, no quilômetro 164,8 da rodovia, em frente à Igreja Assembleia de Deus (somente ponto de referência), no bairro Pouso Alto, em Gravatal, a cerca de 800 metros do posto Polícia Militar Rodoviária (PMRv).

Os policiais, que chegaram ao local do acidente poucos segundos depois, ainda perceberam que Adélio estava vivo, acionaram o Corpo de Bombeiros Militares de Armazém, que também chegaram rapidamente, confirmaram sinais vitais e estavam a caminho do hospital. A vítima não resistiu e faleceu. O corpo foi recolhido pelo Instituto Médico-Legal (IML) de Tubarão, onde foi liberado à família poucas horas depois.

O motorista do Peugeot, de 62 anos, não ficou ferido. Ele passou por um teste de bafômetro, que não acusou embriaguez. Foi ouvido e liberado. Mas deixou relatado algo inusitado neste acidente de trânsito: disse que o pedestre estava acocado sobre a pista – ele trafegava no sentido Tubarão/Gravatal. “Relatou que o homem chegou a dar um pulo para cima quando percebeu que seria atropelado, mas não teve tempo de desviar”, detalha um policial.

O Brasil está entre os 50 países no mundo onde há  mais casos de morte no trânsito, segundo dados divulgados pelo seguro obrigatório Dpvat. Conforme a pesquisa, mais de 50 mil pessoas morrem todos os anos em acidentes no país, são 136 mortes por dia ou cinco por hora.

Nos grandes centros, os atropelamentos são a segunda maior causa de mortes no trânsito. Só no estado de São Paulo 729 pessoas morreram atropeladas nas cidades e nas estradas no primeiro semestre deste ano.