#ParaTodosVerem Na foto, um prédio de dois andares, de cor branca, onde funciona o Fórum da Comarca de Sombrio
- Foto ilustrativa TJSC | Divulgação

O Tribunal do Júri da comarca de Sombrio condenou um homem a 45 anos de reclusão por homicídio qualificado praticado contra sua ex-companheira. A mulher estava grávida de 22 semanas de um filho do próprio réu. O feto também morreu. O crime ocorreu em outubro de 2020. O casal estava separado há três meses e já possuía duas filhas menores. Segundo a denúncia do Ministério Público, no dia anterior ao crime, o réu e seu irmão teriam locado um veículo da cidade de Francisco Beltrão, no Estado de Paraná, onde residiam, e dirigiram-se até Sombrio. Após encontrar a vítima, o acusado teria corrido até ela, sacado uma arma e disparado duas vezes contra o rosto da mulher. Os disparos atingiram a testa e a mandíbula esquerda. Ela teve morte instantânea. O homem voltou ao veículo e fugiu, na companhia do irmão. 

Ambos acabaram presos horas depois, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Itapema. Ele teria dispensado os estojos deflagrados no trajeto, que não foram mais encontrados. Na sessão de julgamento, presidida pelo juiz Stefan Moreno Schoenawa, titular da 2ª Vara da Comarca de Sombrio, o Conselho de Sentença reconheceu que o homicídio foi praticado por motivo torpe, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio. Também identificou a prática dos crimes de aborto sem consentimento da gestante, fraude processual e porte ilegal de arma de fogo. O réu foi condenado a pena de 45 anos, sete meses e 29 dias de reclusão, em regime inicial fechado. Cabe recurso da decisão ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). O processo tramitou em segredo de justiça.

Fonte: Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Edição: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul