Braço de Norte 

Não é nova a informação de que o uso de drogas lícitas e ilícitas, como álcool, cocaína, anfetaminas, entre outras, desinibe o comportamento do indivíduo, reduz o controle sobre os impulsos emocionais e aumenta os sentimentos de perseguição. Conforme os especialistas no assunto, por essa razão, em muitos casos, o consumo de tais substâncias está relacionado a episódios de violência doméstica.

Situações como esta podem ser vistas com frequência. Façamos um teste. Basta responder às perguntas: você já foi vítima de violência? Conhece alguém que tenha sido? Um conhecido já lhe contou de outra pessoa que tenha vivido a experiência? 

Nesta terça-feira, dois casos chamaram a atenção na região. Um homem que bateu na esposa e filhos, e uma filha que agrediu a mãe. A Polícia Militar de Braço do Norte foi acionada no bairro Mateus por volta das 21h30min. Após beber álcool durante o dia inteiro, um homem de 42 anos chegou em casa muito agressivo. 

Depois de algumas discussões com a esposa, de 35, ele passou a lhe agredir com palavras de baixo calão e tapas. Os filhos – uma menina de 8 e um adolescente de 15 – também foram alvos do agressor, que poupou somente um garoto de 10. 

O casal foi encaminhado à delegacia e a mulher não expressou o desejo de representar criminalmente contra o homem. E ambos retornaram para casa. 

Filha ameaça própria mãe
No mesmo dia, no período da manhã, em Tubarão, a Polícia Militar foi chamada no bairro São João para atender outro caso de violência doméstica. Porém, desta vez, a agressão partiu de uma jovem de 26 anos contra sua própria mãe, de 56.
A moça estava alterada quando a guarnição chegou à residência. Sua mãe relatou que foi ameaçada de morte pela jovem após ela chegar ao prédio e causar vários danos, pois quebrou a luminária da área externa, vidros da porta de entrada, danificou fios e extintores de incêndio. 
A mãe admitiu aos policiais que a filha é usuária de drogas e consome bastante bebida alcóolica. As duas foram para a Delegacia da Criança, do Adolescente, e de Proteção à Mulher e ao Idoso (Dpcapmi).  A mulher quis representar contra a filha, mas passou mal e foi levada ao Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC).