O prefeito em exercício de Tubarão, Pepê Collaço, esteve reunido com os guardas municipais ontem para tratar sobre os equipamentos de segurança necessários à categoria.
O prefeito em exercício de Tubarão, Pepê Collaço, esteve reunido com os guardas municipais ontem para tratar sobre os equipamentos de segurança necessários à categoria.

Mirna Graciela
Tubarão

Os guardas municipais de Tubarão estarão de volta às ruas definitivamente em até 40 dias. Este é prazo previsto para a chegada de todos os coletes balísticos necessários. O edital de licitação para a compra do equipamento de segurança foi assinado na tarde de ontem, durante reunião na sede da GM. A autorização para a aquisição das armas, spray e demais acessórios também ocorrerá esta semana, provavelmente até quinta-feira, segundo o prefeito em exercício, Pepê Collaço.

A abertura dos envelopes com as propostas ocorrerá no próximo dia 11. “Quando tivermos o resultado, assinaremos o contrato de compra junto à empresa vencedora. Faremos isso no dia 22”, revela Pepê. O investimento para a aquisição dos coletes gira em torno de R$ 75 mil. Já o das armas e acessórios está calculado em aproximadamente R$ 90 mil – a compra das armas dispensa licitação porque a Polícia Federal determina um tipo específico usado pelos guardas municipais no país e existe uma única empresa fabricante.

O prefeito em exercício disse que entrará em contato com o comando da Polícia Militar para que, no período em que a GM continuar concentrada em trabalhos, seja aumentado o efetivo nas ruas. O diretor da Guarda Municipal, Adailton do Livramento, irá a Florianópolis esta semana para buscar uma posição da Academia de Polícia Civil (Acadepol) quanto à data da realização do curso de tiro para que os guardas possam usar o armamento (15 deles já estão habilitados). “A intenção é que os 27 guardas que ainda não participaram deste treinamento façam todos juntos”, informou.

Proteção ao patrimônio público
Uma escala de trabalho foi definida e, desde ontem, os guardas municipais de Tubarão, que até então estavam atuando exclusivamente na parte administrativa, voltaram a proteger o patrimônio público. Os profissionais foram distribuídos em diversos pontos da cidade. A partir de agora, trabalham na secretaria de saúde, centros de atenção psicossocial (Caps), albergue, Museu Willy Zumblick, delegacia de trânsito, prefeitura e Corpo de Bombeiros.