A partir da próxima semana, a Guarda Municipal de Tubarão (GMT) poderá realizar operações de fiscalização no trânsito com o equipamento de tecnologia OCR (Reconhecimento de Caracteres Ótico), que identifica imediatamente possíveis irregularidades por meio da placa do veículo.

O OCR ficará à disposição do município e da Polícia Militar através de uma concessão sem ônus junto a Associação Catarinense de Organismos de Inspeção (ACOI), que compartilha dados do Departamento Estadual de Trânsito do Estado de Santa Catarina (Detran SC). O aparelho passou por uma série de testes para treinamento nos últimos meses.

O equipamento tem um funcionamento simples. O sistema visualiza a placa do veículo, independente da velocidade que trafega, e identifica o conjunto alfanumérico. Os dados são processados e confrontados automaticamente com o cadastro do órgão. 

Se houver alguma restrição como registro de furto do veículo, atraso no licenciamento ou irregularidade no uso do sistema de Gás Natural Veicular (GNV), o equipamento emite um alerta para a autoridade do trânsito.

Veículos estacionados também são verificados pelo OCR no interior de uma viatura da GMT ou PM. Nesse caso uma irregularidade de licenciamento atrasado não seria passível de multa, mas situações como registro de furto ou roubo e busca e apreensão seriam alertadas para as devidas providências por parte da autoridade de trânsito. O OCR não dispõe das funções de radar e, portanto, não faz medições de limites de velocidade.

“É um instrumento não só de fiscalização de documentos, mas também de reforço no conceito de Segurança Públicas, pois veículos furtados ou roubados em Tubarão ou outras cidades seriam identificados com mais rapidez e uma ocorrência de perigo teria o desfecho adequado”, destaca o secretário de Urbanismo, Mobilidade e Planejamento Nilton de Campos.

Outro dispositivo de tecnologia utilizado pela GMT e PM há cerca de 30 dias para fiscalização no trânsito e segurança é um sistema de videomonitoramento idealizado em caráter privado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e uma empresa do ramo de segurança. A CDL, também sem custos, apenas repassa as imagens de 23 câmeras espalhadas em pontos estratégicos para a central de vídeo dos dois órgãos de segurança.

Esse sistema privado reforça a operação do programa Bem-te-vi, do Governo do Estado, que conta com 10 câmeras de monitoramento e é operado pela Polícia Militar de Tubarão desde agosto do ano passado.