Maycon Vianna
Braço do Norte

Uma quadrilha especializada em furtos de caixas eletrônicos é investigada em Braço do Norte. Os ladrões utilizam um sistema de ‘chupa-cabra’ para clonar cartões de banco. “O equipamento foi descoberto no último domingo, quando perceberam que o local onde se encaixa o cartão magnético estava frouxo. As investigações já estão sob os cuidados da Divisão estadual de investigação criminal (Deic) de Florianópolis. Acompanhamos o caso e, caso sejamos acionados, ajudaremos no trabalho. Acreditamos que os criminosos estejam agindo em outras agências bancárias catarinenses”, constata o delegado da comarca de Braço do Norte, Bruno Vaz Marinho.

Com o dispositivo eletrônico, a quadrilha consegue copiar dados de cartões de banco e de crédito em caixas eletrônicos. “O aparelho é instalado dentro de um caixa eletrônico e, durante um período, copia todos os dados de cartões magnéticos usados no equipamento”, informa o investigador Alexandre Martiliano, da Polícia Civil de Braço do Norte.

Cerca de 50 pessoas sofreram prejuízos com este tipo de golpe somente em Braço do Norte. Em contato com a superintendência do Banco do Brasil da capital, o banco confirma que os clientes lesados serão ressarcidos. “Fui até o caixa eletrônico e não percebi o golpe. Tirei R$ 400,00 da conta corrente e ficou mais uma quantia. Quando voltei para conferir o extrato da conta, verifiquei que o saldo estava zerado”, reclama uma cliente lesada.
Os correntistas lesados foram orientados a registrar um boletim de ocorrência na delegacia de Polícia Civil de Braço do Norte.

Delegado alerta os correntistas

O delegado de Polícia Civil de Braço do Norte, Bruno Vaz Marinho, alerta a população, principalmente os comerciantes, com relação à atuação dos bandidos. “Estes marginais têm se apresentado como funcionários de empresas de cartões de crédito e de instituições bancárias, com o objetivo de conseguir instalar o aparelho dentro das máquinas de passar cartões”, informa o delegado.
Ainda segundo o policial, eles usam a desculpa de que vão fazer manutenção no caixa e, assim, instalam o equipamento. Depois de alguns dias, os bandidos voltam para retirar o aparelho, que já copiou dados dos cartões eletrônicos.

Como funciona o golpe
O ‘chupa-cabra’ substitui a entrada de cartões magnéticos nos caixas eletrônicos. O equipamento registra a leitura da tarja magnética e uma mini-câmera filma todo o movimento do correntista e o os números da senha digitados. Depois, eles passam as informações para um cartão magnético em branco, acessam as contas dos clientes e sacam o dinheiro depositado.