Rafael Andrade
Tubarão

O gerente interino do Banco do Brasil de Armazém, de 30 anos, foi preso ontem, no início da noite, em Balneário Gaivota, no sul do estado, por policiais civis do Núcleo de Investigações Criminais (NIC) de Tubarão. A sua detenção e a de um outro homem de 25 anos foram solicitadas pela promotoria criminal de Armazém, no início da tarde de ontem.

Segundo investigações da polícia, a dupla teria participação direta no roubo à agência do Banco do Brasil de Armazém, no dia 3 de novembro do ano passado. “O gerente teria forjado o seu próprio sequestro para roubar o banco em que trabalhava”, explica o delegado que coordena as investigações, Marcos Ghizoni. Segundo ele, mais suspeitos são investigados e mais prisões podem ocorrer a qualquer momento.

O jovem de 25 anos é proprietário de uma lanchonete próximo ao Farol Shopping, em Tubarão. “Recebemos várias denúncias de que o ponto é usado como fachada para venda de entorpecentes”, relata um investigador. “Trabalhamos desde às 14 horas de hoje (ontem) nestas duas prisões. Agora, eles estão à disposição da justiça”, informa Ghizoni.

A mãe do proprietário da lanchonete esteve no NIC às 23 horas de ontem, assim que o seu filho chegou para prestar depoimento. “Meu filho é inocente, não fez nada de errado. Por que vocês o prenderam?”, indagou a mulher ao delegado. Ghizoni respondeu: “A senhora pode procurar um advogado para defendê-lo, é direito seu”.
O amigo do gerente já havia sido detido com prisão temporária pelo mesmo crime há um mês. A dupla foi encaminhada ao Presídio Regional de Tubarão.

Lembre do caso

Tudo começou no Dia de Finados, uma segunda-feira, por volta das 15 horas, em Orleans. Três homens armados renderam o gerente do Banco do Brasil/Besc de Armazém, quando ele depositava vasos de flores nos túmulos de parentes e amigos no cemitério de Orleans.

Os sequestradores forçaram o gerente a entrar no banco de trás de seu carro. Eles passaram por São Ludgero, Braço do Norte e Gravatal, na casa do gerente, onde se depararam com a namorada da vítima, que também foi rendida.
As vítimas estavam amarradas, amordaçadas e trancadas em um quarto. Ao amanhecer, todos foram ao banco, no centro de Armazém. No caminho, os bandidos mencionaram que ninguém sairia ferido se houvesse ‘colaboração’.

O grupo chegou ao banco às 8 horas, roubou o dinheiro do cofre da agência e rendeu mais cinco pessoas. Às 9 horas do dia 3 de novembro do ano passado, os bandidos saíram do banco, pegaram novamente o carro do gerente e fugiram em direção a Gravatal. Eles abandonaram o veículo a quatro quilômetros do local.
A superintendência do banco relatou que aproximadamente R$ 150 mil foram roubados.