O gerente do presídio, Glauco Roberto dos Santos (foto em detalhe), avalia os 30 dias à frente da função. Uma de suas principais metas é manter um bom relacionamento com os detentos.
O gerente do presídio, Glauco Roberto dos Santos (foto em detalhe), avalia os 30 dias à frente da função. Uma de suas principais metas é manter um bom relacionamento com os detentos.

Mirna Graciela
Tubarão

O período de 30 dias à frente gerência do Presídio Regional de Tubarão – completados neste domingo – é avaliado como positivo por Glauco Roberto dos Santos. Ele assegura que o novo modelo de segurança pública traz a possibilidade de realizar um trabalho efetivamente correto.

“Está tudo tranquilo, sem reclamações. A forma de administrar vem de cada pessoa, procuro atuar dentro da legalidade, buscando as condições necessárias para manter um bom relacionamento com a massa carcerária”, declara o gerente. Na última quarta-feira, fez seis meses que o presídio foi inaugurado.
Segundo ele, a partir disso, a parceria com a iniciativa privada – integração entre o departamento de administração prisional (Deap) e a empresa Montesinos – proporcionou uma infraestrutura de qualidade. “Desta forma, hoje temos tudo previsto em lei, desde a alimentação adequada ao atendimento na saúde. A segurança da unidade é extremamente eficiente e não deixa nada a desejar”, garante Glauco.

O consultório odontológico ficou pronto na quinta-feira, em uma sala da unidade. A partir da próxima terça-feira, o atendimento, que será realizado duas vezes na semana, estará à disposição dos detentos. Não precisará mais haver deslocamentos para a rede pública de saúde.
Outra medida que será colocada em prática, com previsão de 30 dias, é a instalação de uma biblioteca, viabilizada por uma parceria com a Unisul, por meio do projeto calouro solidário, dos cursos de direito, administração e psicologia.

Comissão de assuntos prisionais analisará situação jurídica dos detentos do semiaberto

Esta semana, a comissão de assuntos prisionais esteve no Presídio Regional de Tubarão, ação realizada para acompanhar a parte jurídica dos detentos e suas reivindicações. A visita ocorreu na ala do semiaberto.
“São os reeducandos que estão condenados, a maioria de baixo poder aquisitivo e sem advogados. Fomos analisar a situação de cada um, se existe algum pedido e condição de progressão de regime, por exemplo”, relata o presidente da comissão, o advogado Orlando de Deus Duarte Junior.
Quando a comissão vai na unidade, já tem em mãos a exposição de cada caso, por meio de um levantamento, como o delito praticado, o andamento do processo, se um determinado detento poderá fazer o pedido de saída temporária, entre outros.

“Estamos com um canal de ligação direto com o novo gerente. Tivemos há pouco tempo uma reunião muito produtiva”, declarou o presidente da comissão. A OAB também participa ativamente da comissão, cerca de dez advogados atuam voluntariamente. Outro objetivo é buscar alternativas para a abertura de vagas de trabalho aos detentos.
“Tudo que for para somar será bem-vindo. Se são situações para melhorar o funcionamento da unidade, mesmo que venha com crítica, será bem acolhida para solucionarmos os problemas”, enfatiza o gerente do Presídio Regional de Tubarão, Glauco Roberto dos Santos, sobre o acompanhamento da comissão de assuntos prisionais.